sexta-feira, 18 de abril de 2008

JÁ EXISTE ALTERNATIVA AO PETROLEO

Caros internautas.

Nossas vidas a nivel mundial sao manipuladas de uma maneira tao brutal e descarada, que é necessário abrirmos a mente e termos acesso irrestrito a informaçao.
A internet é um meio extraordinário, mas é necessário filtramos, e digerimos todas as informaçoes. Muito do que lemos é lixo. Mas cabe a cada um de nós fazer a diferença.
Vou aqui divulgar a mentira sobre as fontes de energia.
Já existe alternativa ao petroleo desde 1954.
LEIAM O TEXTO ABAIXO.
DAREI MAIS INFORMAÇOES OUTRO DIA.

Um abraço.

Ramiro Lopes Andrade

===================================================

Hidrogênio é produzido a partir de liga de alumínio e água

Redação do Site Inovação Tecnológica 31/05/2007

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010115070531

Engenheiros da Universidade Purdue, Estados Unidos, desenvolveram uma técnica que utiliza uma liga de alumínio para extrair hidrogênio da água. O hidrogênio pode então ser utilizado para abastecer células a combustível e até mesmo motores de combustão, em substituição à gasolina.

O método elimina a necessidade de se armazenar e transportar o gás - dois grandes desafios no caminho da criação da economia do hidrogênio, quando se espera que a economia poderá deixar de lado os combustíveis fósseis e queimar hidrogênio, que produz apenas água como sub-produto.

Extração de hidrogênio

"O hidrogênio é gerado sob demanda, de forma que você somente produz a quantidade que você necessita," diz o professor Jerry Woodall, inventor do novo processo de extração do hidrogênio.

O hidrogênio é produzido espontaneamente quando a água é adicionada a pedaços de uma liga de alumínio e gálio. "Quando a água é adicionada, o alumínio na liga sólida reage porque ele tem uma forte atração com o oxigênio da água," diz Woodall. A reação quebra a molécula de água - o oxigênio reage com o alumínio, gerando um óxido e o hidrogênio é liberado.

O gálio é um elemento crítico no processo porque ele impede a formação de uma camada de óxido na superfície da liga de alumínio, como acontece normalmente. Essa camada, que acaba por revestir o material, impedindo que o oxigênio da água continue reagindo com o alumínio, parando o processo de geração de hidrogênio.

Alumina

O gálio não é consumido no processo, agindo apenas como catalisador. Isso significa que ele pode ser reaproveitado continuamente. Este é um ponto importante na viabilização econômica da nova tecnologia, já que o gálio é um metal caro. Outra vantagem é que o gálio necessário não precisa ser de alta pureza, como aquele utilizado na indústria eletrônica.

Outro sub-produto do processo é a alumina, ou óxido de alumínio. A alumina é um material intermediário entre a bauxita - o minério de alumínio - e o alumínio puro. Isso significa que esse resíduo poderá ser facilmente reciclado pela própria indústria de alumínio.

O processo foi licenciado e será explorado pela empresa emergente AlGalCo LLC.

Links desta notícia

Purdue University

6 comentários:

Macillum disse...

Se no youtube.com colocar as palavras-chave "water motor" encontrará alguns exemplos de carros movidos a água. Nestes videos é-nos explicado como fazer a conversão de nosso carro de gasolina para água. O processo é simples: obtenção de hidrogénio através da hidrólise, ou seja, nem o alumínio é necessário.

O problema é que nenhum financeiro quer colocar o pescoço em risco ao produzir esses motores em série.

www.nicolaias.blogspot.com

www.almadanacao.blogspot.com

www.acrisedeportugal.blogspot.com

Bilder disse...

Os senhores do mundo querem continuar a usar o petróleo para dividir para reinar,enquanto houver explora-se e destroi-se e depois oferecem uma solução para continuar a explorar!
www.oilempire.us

joshua disse...

Estarei atento, Ramiro.

Foi um prazer visitar o teu sítio bem corajoso.

PALAVROSSAVRVS REX

Jorge disse...

O alumínio é obtido a partir da alumína que por sua vez é obtida a partir da bauxite. A quantidade de energia eléctrica para a sua produção é astronómica uma vez que o processo é de electrolise. Daí o aluminio ser bastante caro. Na Islândia controem-se barragens de propósito para alimentar estas fábricas. Quando se queima petroleo para produzir energia electrica não vejo qual a vantagem de depois usar o alumínio para produzir energia eléctrica. Em todo o processo perde-se sempre.

Já agora e quanto aos motores a água, onde é que se vai buscar a energia eléctrica para produzir a hidrólise no carro? Porque é que não se usa essa energia directamente em motores eléctricos?

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

CARO JORGE

O ALUMINIO EXISTE EM ABUNDANCIA NOS RESIDUOS QUE SAO RECOLHIDOS DIARIAMENTE EM NOSSAS CIDADES. O PONTO D EFUSAO DO ALUMINIO E DE APROXIMADAMENTE 600 GRAUS CELSIOS, O QUE E RELATIVAMENTE BAIXO. O PONTO DE FUSAO DO GALIO E DE 30 GRAUS CELSIOS, PORTANTO E FACIL ADICIONARMOS GALIO AO ALUMINIO, ATRAVES DE FUSAO NUM FORNO NORMALISSIMO.
A VANTAGEM DE USAR ESTE METODO E A NAO UTILIZAÇAO DE PETROLEO EM NOSSOS AUTOMOVEIS.
ASSIM QUE TIVER OPORTUNIDADE FAREI A CONFIRMAÇAO DESTE PROCEDIMENTO, E DAREI NOTICIAS.
UM ABRAÇO DEMOCRATICO

RAMIRO ANDRADE

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

CARO JOSHUA

OBRIGADO PELAS SUA PALAVRAS DE INCENTIVO.
PODE ESTAR CERTO QUE CONTINUAREI A DIVULGAR TODOS OS ASSUNTOS QUE ME SAO RELEVANTES.
UM ABRAÇO DEMOCRATICO.

RAMIRO ANDRADE