domingo, 6 de janeiro de 2013

Banif vai receber 1,1 mil milhões de euros dos otários dos contribuintes portugueses ..... aguentem-se a bronca malta

.
O próximo banco a estourar é o Banif, com um passivo de 14 mil 888 milhões de euros ( 14 biliões e 888 milhões de euros ), em 2011.

Em quanto vai este roubo em 2012 ???

Adivinhem quem vai pagar mais esta conta ??????

É isso mesmo que pensou ..... somos nós, os otários dos contribuintes portugueses !!!!!!

O Estado Português nacionalizou o Banif em 99,4%, é um rombo muito superior ao BPN.
Portanto nossa dívida externa aumentou em mais 14,888 mil milhões de euros em 2013, já superando os 240 mil milhões.

Vejam:

 
 
 
Temos o BPN que já está em 10 mil milhões de euros, com contas ainda não fechadas, com Dias Loureiro a se rir de todos nós Portugueses, em seu resort 5 estrelas de Cabo Verde.
 
Temos o Anibal Cavaco Silva a se rir de todos nós, com o dinheiro que ganhou a comprar e a vender ações do BPN.
 
DIAS LOUREIRO + JOSÉ RELVAS + LUIS ARNOU, COMO GRANDES AMIGOS QUE SÃO, PASSARAM JUNTOS O REVEILON NO COPACABANA PALACE, NO RIO DE JANEIRO - BRASIL.
MAIS PALAVRAS PARA QUE ????????
 
PASSOS ESCUTA .......... ÉS UM FILHO DO PAI  !!!!!!!! 
 
Enfim, é o país que temos, até quando?
Até quando??????????????????????
Brasil ............. aí vou eu.
Desejo sinceramente que os portugueses sobrevivam este ano de 2013.
 
Abraços.
 
Ramiro Lopes Andrade
 


13 comentários:

Anónimo disse...

Banco Banif no Brasil é uma bolha financeira criada por seu ex Preseidente Antonio Julio Machado Rodrigues, sua equipe e integrantes de Portugal.
O grupo português Riveira Mendes de Portugal, controlado pelo Sr. Emidio Mendes, junto com estes acima montaram um esquema miilionário que está começando a dar problemas e que envolve a Caixa Geral de Depósitos, Petrobras, politicos Brasileiros e Portugueses, Petrobras e até o irmão do ex presidente Lula, Sr. Vavá.
Milhões e milhões em contratos cuja as garantias, propriedades entre outras, não valem um terço do valor declarado, inumeras operações financeiras não registradas e sociedades fictícias para acobertar operações imobiliarias que sequer existem. Sonegação fiscal, lavagem de dinheiro público, evasão de divisas entre os crimes....
Este Sr. Antonio Julio tem partcipação pessoal em varios empreendimentos no Brasil e é sócio em diversas destas empresas com nomes de "laranjas". Tudo financiado com dinheiro do banco Banif.
Sr. Alberto Fuzari, sócio e testa de ferro do ex presidente deve milhões ao banco e suas garantias não valem nada.
Carlos Vespoli, do grupo Vespoli engenharia, sócio do ex presidente e também deve mlhões ao banco no mesmo esquema.
Grupo Real Opportunity, tem como presidente Sr. Darcio do Nascimento, outro testa de ferro da máfia. Esta empresa foi usada para desviar milhões do banco Banif em operações que favoreceram o ex presidente e todos estes demais, esquentar dinheiro público e ilegal do Brasil que foi enviado ao exterior e que voltou como aporte de capital e investimentos.
Todos milionários e quem vai pagar as contas deles conta é o povo brasileiro e português.
O banco Banif comprou partcipações e ações destas empresas que sequer existem nos endereços ou tem qualquer tipo de operação que exista. Isso por milhões de reais e que foram parar no bolso dessa máfia.
Dentro do banco Banif existem diversas outras operações que não serão liquidadas e que envolvem milhões de reais e diversas outras pessoas e empresas estão ligadas ou abaixo deste grupo.
A nova gestão no Brasil esta tentando acobertar todos estes esquemas mas sequer sabe por onde começar ou como vai resolver esta bolha milionária e que uma hora vai estourar e aparecer.
Acompanhei tudo isso dentro desta instituição durante alguns anos e sei que isso é só a ponta do icebergue.

Anónimo disse...

E o senhor Siqueira, onde entra???

Anónimo disse...

muito bem , e a atual diretoria que esta la a mais de um ano ?? faz o que???

Anónimo disse...

Eu também trabalhei no Banif, e endosso tudo o que o primeiro anônimo declarou. Aliás, foi tão certeiro nas suas afirmações que é difícil acreditar que não seja algum ex-Diretor, provavelmente do Banco de Investimento. No caso do Sr. Alberto Fuzari, é verdade que ele foi formalmente sócio do Sr. Antônio Júlio Rodrigues, até 2004. Por sua vez, o Sr. Fuzari foi sócio do Sr. Emídio Mendes no grupo Real Opportunity, negócio nebuloso em que o Banif continuava emprestando dinheiro aos devedores, a despeito da inadimplência de anos. O Banco acabou "dono" da empresa, que não existe e sequer estava registrada em cartório. Isso era muito comum, para ocultar as tramoias o Banif transferia as dívidas para laranjas, como é o caso da Riviera Residence Service, localizada em Santos, que começou como empreendimento do Emídio Mendes e depois foi para as mãos do Grupo Véspoli, mas está inacabada até hoje. Além disso, transferiu parte da dívida a fundos de pensão, cujos pensionistas vão pagar o pato mais cedo ou mais tarde. A Diretoria atual tem feito mundos e fundos para convencer o Bacen e o mercado de que a culpa é dos antigos administradores, mas nenhuma pessoa em são consciência vai acreditar que o Sr. Antônio Júlio agiu sozinho.

Anónimo disse...

procurem no google panorama banif antes que seja tarde.....

Anónimo disse...

Esse é o Banif Brasil

Anónimo disse...

Olhem o que eu havia falado lá atrás sobre os fundos de pensão pagarem o pato das ações criminosas dessa quadrilha. A "desculpa" da atual gestão é sempre a mesma, é "tudo culpa dos antigos administradores. Como se o Dono do Banco (Comendador Roque) não fosse o Presidente do Conselho de Administração durante todo o período das malversações.

Endereço: http://www.suporteconsult.com.br/newsite/noticia/pagina_noticia.aspx?arq=gkz4y9kagy1.html&cod=1007.

Anónimo disse...

Tudo que foi digo e verdade e mais, teve participação de uma advogada, Maria gorete.

Anónimo disse...

Matéria da revista Exame de março/15, editora Abril: "Fraude: Ex-diretores do banco Banif no Brasil são acusados pela própria instituição de emprestar mais de 450 milhões de reais a empresas de sócios e amigos". Tá tudo lá, para quem quiser ler.

Anónimo disse...


Matéria da revista Istoé de junho/11: "Os agentes e delegados mobilizados - efetivo de 130 policiais - cumpriram 11 mandados de prisão, um deles do ex-vice-presidente do Banco do Brasil, Allan Simões Toledo, hoje diretor do Banco Banif. A Porto Victória apreendeu R$ 1 milhão em espécie - reais e euros - além de lingotes de ouro e um diamante. A Polícia Federal informou que a próxima etapa da missão vai mirar em clientes de doleiros que realizavam exportações fictícias para de maquinário industrial para a Venezuela. Os contratos de câmbio e de comércio exterior eram fraudados por meio de expedientes no Banif, com a participação de Allan Toledo, segundo a Porto Victoria"

A verdade pode demorar mas não falha. Os verdadeiros bandidos que assumiram o Banif no Brasil estão começando a cair. As acusações contra a antiga diretoria são infundadas e sem quaisquer comprovações. Inclusive o Banif Brasil solicitou a suspensão da ação de responsabilidade movida contra os ex-diretores. Sou funcionário do banco e nunca houve tanta roubalheira como agora, nesta nova diretoria, comandada pelo Sr. Gladstone Siqueira, capacho do Sr. Allan Toledo, que acaba de ser preso pela polícia federal brasileira, diferentemente dos antigos diretores que estão conseguindo comprovar sua inocência. Essa matéria da revista Exame foi comprada pelo advogado do Banif, Ivo Waisberg, conhecido no mercado brasileiro por sua pouca ética. Funcionários suspeitos do Banif, como Cesar Manzano, podem estar na mira da polícia federal. Dificilmente o Banif sobreviverá no Brasil. Ainda mais depois da entrada dos atuais diretores, Eduardo Martins, Allan Toledo (preso), Gladstone Siqueira, todos exonerados do Banco do Brasil e com fortes ligações políticas junto ao PT.

Anónimo disse...

Matéria da coluna esplanada junho/12: "Demitido do Banco do Brasil em 2011 e um dos presos pela Polícia Federal na Operação Porto Victoria ontem, o ex-vice-presidente do Banco do Brasil Allan Toledo está numa enrascada.

Fontes da polícia indicam que ele é o principal alvo do Departamento de Justiça dos Estados Unidos que monitorou a quadrilha que lavou quase US$ 1 bilhão numa conexão Caracas-São Paulo-Hong Kong.

Executivo do Banco Banif, Toledo estaria ‘lavando’ dinheiro do narcotráfico. A operação é cooperação da PF com o FBI, e Toledo ainda corre risco de ser extraditado caso a Justiça americana encontre mais provas e o decida também processá-lo nos EUA.

Segundo a PF, os investigados responderão por evasão de divisas, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e organização criminosa."

Anónimo disse...

Cadê o Sr. Gladistone, que voltou ao brasil em meados de 2012, rotulou clientes e a antiga diretoria de ladrões e muito mais. Está em Portugal?

Onde estão os demais diretores, Sr. Renato Donatello, Eduardo Martins e todos aqueles que inflacionaram os custos do banco com contratações de parentes e amigos. Salários exorbitantes de R$ 20 a R$ 50 mil reais. Demitiam funcionários que ganhavam R$ 3, 4 mil reais alegando conte de despesas e contratavam em seguida amigos para ganhar R$ 15 a 20 mil sem ter o que fazer no banco. Banquetes, café da manhã, tudo com custos exorbitantes. Aluguel de imóveis no valor de R$ 15, 20 mil reais, carros importados. Estão fazendo a festa e culpando os antigos administradores com ações infundadas e sem prova nenhuma.

Tornaram público na internet o Panorama Banif, onde criaram ligações entre clientes e empresas do banco.

Quem está no banco hoje diz não ter nada para fazer e que ficam de braços cruzados. E o Sr. Cesar Manzano, já tirou uma cópia desta caso de polícia e entregou a cada funcionário como fez quando da reportagem encomendada da revista exame.

Esta nova diretoria tem feito acordos com os clientes e vendido os imóveis com lucro e continuam a dizer que os imóveis recebidos pela antiga adm não vale nada.

O mais estranho nisso tudo é a passividade do dono do banco, o Grupo Banif em Portugal não faz nada, estranho, depois seus administradores vão dizer que não sabiam de nada..... Parece que entregaram o banco para estas pessoas, todas com ligações políticas.

Anónimo disse...

O Sr Gladistone conseguiu que o Banif pagasse um apartamento em Londres para as suas deslocações e que na prática servia para alojar um familiar que estudava em Londres...